sábado, 21 de febrero de 2009

Quería..



Quería remontar o misterio do mar,
Como um barco que o cruza,
Recolhendo peixes do infinito,
Como pérolas incrustadas.
Brisas nas ondas brancas,
Que rumoreiam um segredo azul.
Mar em remoinhos,
que abre a visão das marés.

4 comentarios:

Maria Costa dijo...

Sempre o mistério do mar...

Belo poema.



Recomendo-lhe a visita ao blog
http://elestablodepegaso.blogspot.com


Beijinho

Luis Enrique dijo...

Olá Maria,

Obrigada ! naturalmente que irei visitar seu espaço de poesia sem demora.

Bjs.

mariah dijo...

tão belo, Luís Enrique!
deixo este para companhia do mistério do mar:



o poeta sabe como deus transbordou do escuro
e nasceu de uma nuvem de solidão e exílio
como respirou
e dormiu,
e esticou os braços
como dois rios.
com montanhas e ombros
e duas pernas para lavrar o azul
partiu-se em mil bocados
tal como um vidro.

que nele ninguém se fira!

Beijinho,
mariah

P.S. vou levar o seu poema para " o pó da escrita"

lupussignatus dijo...

olhar

marinho